A fisioterapia em busca das escalas de avaliação do autismo.



A fisioterapia em busca das escalas de avaliação do autismo.

O autismo ou transtorno do espectro autista (TEA) como também é conhecido, se trata de um transtorno do neurodesenvolvimento manifestado na infância que resulta em déficits de interações sociais e motores. São encontradas escalas de avaliação desenvolvidas especificamente para diagnosticar e classificar essas crianças, para uma melhor abordagem terapêutica.

O objetivo do artigo foi identificar qual é o instrumento de avaliação mais utilizado mundialmente por fisioterapeutas para classificar crianças e adolescentes com autismo.

Os métodos foram em iniciar uma busca por materiais, com publicações entre os anos de 2010 e 2019, disponíveis nas bases de dados eletrônicos: Periódicos Capes, Google Acadêmico, MEDLINE, PUBMED, BIREME e Scielo. Para seleção dos materiais foram utilizadas as seguintes palavras-chaves: Transtorno do espectro autista, fisioterapia, escala de avaliação, neurodesenvolvimento e neurologia pediátrica. Para inclusão dos artigos foram aceitos trabalhos nacionais e internacionais, com pontuação maior que 7 baseados na escala PEDro, sendo esta desenvolvida pela Physiotherapy Evidence Data.

Os resultados: Inicialmente foram selecionados 339 artigos, e destes foram incluídos 11 artigos, condizentes com as palavras-chave selecionadas e satisfazendo os critérios determinados para a inclusão dos mesmos, no estudo. No total, foram identificados 3 instrumentos de avaliação, e foi constatada maior prevalência da Childhood Autism Rating Scale (CARS).

Conclusão: Os estudos mostraram-se relevantes para os profissionais da saúde, especialmente a fisioterapia, porém nota-se a importância de serem realizados mais estudos a respeito do assunto abordado, visto que foram encontrados poucos trabalhos desenvolvidos por fisioterapeutas.

Acesse o artigo completo clicando aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *