O Método Pilates aplicado a Diástase do Reto Abdominal.

carros

Mais comum em mulheres que passaram pelo processo de gravidez, mas também acometem homens/mulheres obesa, a diástase do reto abdominal é uma separação da linha média (linha alba) dos músculos reto da parede abdominal. Se palpável com mais de 2,5 cm, se visível qualquer abaulamento durante o esforço, pode ser considerado como uma diástase ou se já não for diagnosticado clinicamente por ultrassonografia (em tempo real) que é um método preciso para medir a mesma. No entanto, um profissional de saúde pode realizar um teste de palpação rápido para avaliar caso o paciente não tenha condições realizar o exame clinico.

A diástase do reto abdominal comumente ocorre ao redor do umbigo, mas pode ocorrer em qualquer lugar entre o processo xifoide e o osso púbico. Isso acontece devido a uma fraqueza da musculatura estabilizadora e aumento da tensão na parede abdominal pelo crescimento da barriga. A diástase do reto abdominal pode ocorrer em diferentes graus durante a gravidez, ou obesidade, e pode não resolver-se espontaneamente no período pós-parto, não impedindo que o paciente deva dar continuidade ao tratamento, pois devemos trabalhar para amenizar ao maximo a diástase.

O Método Pilates trabalha com o conceito do fortalecimento do Power House (CORE) dos quais fazem parte os músculos estabilizadores: Mutifidus, Transverso do abdômen, Glúteos, Diafragma e Assoalho pélvico. É necessária uma estabilização da região lombo pélvica para que possamos realizar um trabalho de prevenção ou tratamento de lesões.

Estratégias ideais para transferência de força irão equilibrar o controle de movimento, mantendo a pressão intra-abdominal suficiente, sem comprometer os órgãos (preservar a continência, prevenir o prolapso ou hérnia), associar o conceito do PNF ao Pilates ajuda no tratamento da Diástase Abdominal.

Esta pode causar uma série de problemas, sem a estabilização dinâmica que os músculos abdominais (CORE) fornecem, esta fraqueza pode comprometer a estabilidade e a mobilidade corporal, contribuindo para o aparecimento de dores.

As dores na lombar ou na região pélvica são as manifestações mais comuns de uma diástase do reto abdominal. Como ocorre uma perda de efetividade nas transferências de forças, o paciente somente deve voltar a praticar esportes após um tratamento efetivo (Pilates por exemplo). Isso se deve porque se iniciarmos estas atividades sem estar com a estabilidade da região, fatalmente ocorrerão outros tipos de lesões.

Exercícios abdominais mal executados podem causar um aumento na pressão intra-abdominal, esta força pode causar mais separação dos retos, consequentemente piorar a diástase ou até ocasionar uma hérnia. Exercícios abdominais inadequados incluem Sit Ups, Straight Leg Raise(SLR), Hundred e, especialmente, as atividades rotação do tronco, como Criss Cross e Roll-ups que têm como alvo os oblíquos, podendo tencionar os músculos abdominais em excesso.

Uma vez que os músculos do CORE contribuem para a estabilidade lombo pélvica, se identificada ou diagnosticada com diástase do reto abdominal o paciente deve marcar uma consulta com o Fisioterapeuta e iniciar o tratamento o quanto antes.

Maycon Douglas A. de Oliveira

CursosTopo

@mdouglasfisio

Com algumas informações de http://revistapilates.com.br/2015/01/14/diastase-reto-abdominal-e-pilates/

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *