Fisioterapia melhora qualidade de vida de Diabéticos

insulina-glicose

O estilo de vida sedentário é um fator que contribui para o desenvolvimento ou aumento da resistência à insulina. Estudos demonstraram que a sensibilidade à insulina pode aumentar com exercícios físicos, independentemente da redução do peso e de mudanças na composição corporal, e que o principal efeito do exercício pode ser o aumento da expressão de elementos intracelulares da via de sinalização da insulina, em particular dos transportadores de glicose na musculatura esquelética. Interessantemente em paciente com diabetes do tipo 2, o transporte de glicose estimulado pela contração muscular se mantém sem alterações. Estudos experimentais demonstraram que o exercício físico em ratos diabéticos foi capaz de aumentar a fosforilação do receptor de insulina e da Akt, melhorando conseqüentemente a captação de glicose. Todos esses dados confirmam a importância da atividade física para a melhora da captação da glicose mediada por insulina.

A educação em saúde com exercício terapêuticos, enquanto medida de prevenção ou retardo do Diabetes Mellitus, é uma ferramenta importante para a redução de custos para os serviços de saúde. As intervenções que focalizam aspectos múltiplos dos distúrbios metabólicos, incluindo a intolerância à glicose, a hipertensão arterial, a obesidade e a hiperlipidemia, poderão contribuir para a prevenção primária do Diabetes Mellitus.

Link do estudo: http://www.rc.unesp.br/ib/efisica/motriz/11n1/11n1_ropelle.pdf