Fisioterapeuta é assassinada por ex namorado no litoral paulista

arma

Com requintes de premeditação e portando um revólver calibre 38 com a numeração raspada, Diego da Silva Santos, de 28 anos, invadiu a casa da ex-namorada, pulando um muro, e a matou com dois tiros. O crime ocorreu na quinta-feira (24) de manhã, no Jardim Boa Esperança, em Vicente de Carvalho.

Logo após atirar na jovem, ele tentou o suicídio disparando contra o próprio pescoço. Baleada no antebraço direito e nas costas, a fisioterapeuta Valdenize Soares Silva Santos, de 30 anos, foi encaminhada à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do bairro, mas não resistiu aos ferimentos e morreu.

A residência da vítima fica na Rua Hélio Ferreira e ela foi surpreendida por Diego na cozinha do imóvel, sem ter chance de se defender. Antes de chegar a essa dependência, o rapaz se deparou com Fausta Soares Silva Santos, de 61 anos, mãe da fisioterapeuta, e a empurrou, conforme ela contou ao delegado Caio Azevedo de Menezes, que compareceu à casa com peritos criminais.

“Ele (Diego) ainda apontou o revólver para a cabeça da minha mãe”, disse Valdirene Soares Silva Santosa, de 34 anos, irmã da fisioterapeuta, na tarde dessa quinta-feira (24), logo após chegar do Cemitério de Vicente de Carvalho, após o enterro de Valdenize.

CursosTopo

Em virtude de o seu número estar suprimido, o revólver usado no assassinato não pôde ter a sua procedência apurada de imediato. Porém, as armas que têm a numeração raspada, geralmente, são furtadas ou roubadas, além de estar ligadas a outros crimes. O delegado requereu perícia para descobrir em nome de quem o armamento está registrado.

Feminicídio

Diego foi socorrido em estado grave e encontra-se internado no Hospital Santo Amaro. Ele está sob escolta policial, porque foi autuado em flagrante, e deverá ser recolhido à cadeia quando receber alta. A Tribuna tentou falar com a sua família, mas ela não quis se pronunciar.

Valdirene relatou que a sua irmã e o acusado namoravam desde junho, mas a fisioterapeuta decidiu terminar o relacionamento havia duas semanas, após descobrir uma traição do rapaz. “Ele não aceitava o término do namoro e, por isso, matou a minha irmã”.

Morador na Vila Áurea, outro bairro de Vicente de Carvalho, Diego alugou um carro para ir até a casa da ex. O veículo foi apreendido na frente do imóvel da vítima, sendo restituído à locadora.

Menezes autuou Diego por homicídio simples, cuja pena varia de 6 a 20 anos de reclusão. Porém, o Ministério Público, ao denunciar o acusado, não está vinculado a essa interpretação jurídica, podendo e devendo adotar outra, se considerá-la mais adequada.

Como o homicídio foi cometido contra mulher, por razões da condição de sexo da vítima, em tese, Diego está incurso no crime de feminicídio, conforme prevê a Lei 13.104, vigente desde último dia 9 de março. Além de a pena ser de 12 a 30 anos de reclusão, o autor tem regras mais severas para cumpri-la, por se tratar de delito hediondo.

Fonte: http://www.atribuna.com.br/noticias/noticias-detalhe/policia/homem-invade-casa-e-mata-ex-namorada-com-dois-tiros-em-vicente-de-carvalho/?cHash=d1efde2ea9132f73c1d4c5f3f64520ec

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *