Centro de Apoio a Idosos de Portimão vai construir Centro de Fisioterapia com piscina

fisioterapia-e-hidroterapia

O Centro de Apoio a Idosos de Portimão tem, em fase de projeto, a construção de um Centro de Medicina Física e de Reabilitação. O equipamento, orçamentado em centenas de milhares de euros, será construído em terrenos daquela instituição particular de solidariedade social, devendo as obras começar durante o próximo ano.

De acordo com Figueiredo Santos, presidente da direção da instituição, “o investimento que será feito tem um retorno sobretudo social, porque visa criar um acompanhamento permanente dos utentes numa área da saúde importante na sua idade, permitindo-lhes um acompanhamento diário na prevenção, manutenção e cura de situações clínicas que apareçam”.

Por outro lado e ainda segundo o dirigente, “ a abertura do Centro aos associados e a outros utentes, em condições ainda por definir, trará proveitos importantes que serão reinvestidos na instituição”.

O futuro Centro de Fisioterapia, cujo projeto se encontra em apreciação na Câmara de Portimão e na Administração Regional de Saúde do Algarve, disporá de áreas clínica e técnica, com dois gabinetes de consulta e uma sala de provas de prótese com ginásio, sala de tratamentos com equipamentos em ginásio, uma sala de cinesiterapia respiratória com aerossóis, um ginásio terapêutico também da área de cinesiterapia e ainda de uma outra de hidroterapia dotada de piscina, hidromassagem e de banhos de contraste e turbilhão, uma novidade em centros de medicina física e de reabilitação regionais.

Para Fernanda Encarnação, diretora técnica do Lar da Raminha, que acompanha o processo de instalação, “dotar a instituição de equipamentos e de meios técnicos- humanos numa área tão sensível, quanto importante, como é a fisioterapia, é uma inquestionável mais-valia para os nossos utentes, a quem se proporcionarão melhores condições de uma vida já longa”.

Entretanto e enquanto aquele equipamento não começar a funcionar, a direção do Centro de Apoio a Idosos vai adaptar três vivendas da Vila Avó – unidade de institucionalização com vilas com uma capacidade para 34 pessoas – para avançar desde já com tratamentos de fisioterapia aos seus utentes dos lares Diogo Gonçalves, Raminha, Vila Avó e S. Camilo de Lélis, bem como a sócios da instituição que paguem uma quota anual ou mensal a definir pela direção.

“Os tratamentos nesta fase, nas áreas de ultrassons, magnetoterapia, terapia por movimento contínuo passivo, tecnologia de campo rotativo e eletroterapia, serão garantidos por fisioterapeutas e médicos”, revela o Centro de Apoio a Idosos de Portimão.

Cursos_Resportes_Banner

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *