Atividade física é aliada da Nasa na conquista de Marte

Slide1

São necessários pelo menos seis meses de viagem em uma cápsula apertada e sem gravidade. O que pode gerar uma série de problemas físicos, como explica o especialista em Medicina Aeroespacial Anil Menon.

– Quando você está em gravidade zero pode acontecer perda de massa muscular, de massa óssea, comprometimento do sistema cardiovascular e imunológico. Se não agir contra isso, até sono é afetado – afirma.

Simulador da nave que será enviada a Marte (Foto: Andrea Cavalheiro e Filipe Cury)

Simulador da nave que será enviada a Marte (Foto: Andrea Cavalheiro e Filipe Cury)

O combate a esses sintomas é feito com exercícios físicos, que começam muito antes do embarque para o espaço. A Estação Espacial Internacional funciona como um laboratório de testes, com uma equipe multidisciplinar. O astronauta não precisa ser o mais rápido, nem o mais forte, nem o mais resistente, mas precisa ser o mais completo. O objetivo não é ganhar medalha, é sobreviver.

– Os exercícios não são apenas para nos manter saudáveis na viagem, mas também na volta para casa. A condição física também vai determinar a maneira como poderemos explorar o planeta – diz o astronauta americano Mike Hopkins, que passou seis meses no espaço em 2013.

Módulo de treinamento dos astronautas da Nasa (Foto: Andrea Cavalheiro e Filipe Cury)

Módulo de treinamento dos astronautas da Nasa (Foto: Andrea Cavalheiro e Filipe Cury)

Para simular a condição encontrada no espaço, foram feitas várias adaptações aos equipamentos tradicionais. Para correr, o astronauta usa um colete com elásticos e fica preso à esteira. Para pedalar, é preciso se equilibrar, porque a bicicleta não tem guidão, nem banco. E para levantar peso foi preciso desenvolver um equipamento que trabalha com vácuo dentro de um cilindro para gerar uma carga – no espaço um halter de 1kg pesa exatamente o mesmo que um de 20kg: nada.

Equipamentos tradicionais, como a esteira, foram adaptados para simular as condições no espaço (Foto: Andrea Cavalheiro e Filipe Cury)

Equipamentos tradicionais, como a esteira, foram adaptados para simular as condições no espaço (Foto: Andrea Cavalheiro e Filipe Cury)

– Queremos que utilizem todos os equipamentos, mas permitimos que variem os exercícios segundo o gosto pessoal. Quem gosta de correr pode fazer a esteira quatro dias por semana e a bicicleta duas, por exemplo – diz o treinador de força e resistência da Nasa, Mark Guilliams, responsável pelo programa de exercícios.

A Nasa trabalha com o que há de mais avançado no desenvolvimento de atletas. Seria natural imaginar que as tecnologias criadas ali fossem replicadas em diferentes esportes. Mas no fundo é o contrário.

– Nós é que aprendemos muito com os atletas. Como desenvolvem força, velocidade, capacidade cardiorrespiratória. Aplicamos tudo isso aos astronautas – revelou o treinador.

Piscina que simula gravidade zero (Foto: Andrea Cavalheiro e Filipe Cury)
Piscina que simula gravidade zero (Foto: Andrea Cavalheiro e Filipe Cury)
Fonte :Globo.com.br
Banner_Cursos_Fisioterapeuta

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *